X

Fale Conosco:

Aguarde, enviando contato!
Prefeitos do Consórcio de Saúde denunciam favorecimento de Guanambi em internações no Hospital Geral de Guanambi.
  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

Prefeitos do Consórcio de Saúde denunciam favorecimento de Guanambi em internações no Hospital Geral de Guanambi.

GUANAMBI – Na manhã desta quinta-feira (29), em assembleia do Consórcio Público Interfederativo de Saúde do Alto (CIS), os prefeitos denunciaram a prática arbitrária da gestão executiva de Guanambi, município da região Sudoeste, na realização de internações de pacientes no Hospital Geral de Guanambi (HGG).

De acordo com os prefeitos membros do Consórcio, o município é o único que fura a fila do Sistema Regional de Regulação de Vagas, criado exclusivamente para agendar internação de pacientes que compõem o Consórcio.

Para os prefeitos consorciados, os demais municípios estão em desvantagem, comparada a agilidade que os guanambienses conseguem internação e realização de complexos procedimentos de saúde no HGG.

Isso porquê, a gestão municipal fura a fila de regulação. “Nós prefeitos não podemos aceitar que no Hospital Regional Guanambi tenha 60% vagas e ainda cortam fila(sic). Política é o hábito de resolver problemas, por isso que nós estamos aqui”, declarou a Prefeita de Carinhanha, Francisca Alves Ribeiro (Chica do PT).

Como Guanambi não possuí uma unidade hospitalar municipal, diferentemente dos demais municípios, as demandas dos munícipes são atendidas desrespeitando a triagem regional. É justamente nesse ponto que os prefeitos do Consórcio criticam o modelo adotado pela gestão executiva local.

Os demais municípios não encaminham pacientes sem que antes o seu pedido de transferência seja submetido ao Sistema de Regulação de Vagas, ferramenta responsável pela triagem de todos os pacientes que compõem os 23 municípios federados ao Consórcio e que estejam na área de abrangência atendida pelo HGG.

“Os próprios profissionais da Unidade de Pronto Atendimento (UPA), quando necessitam de um atendimento orientam que os pacientes procurem o Regional. Quer dizer, eles não colocam no Sistema de Regulação, eles orientam que os pacientes vão. Outros naturalmente já fazem isso”, afirmou o prefeito de Urandi, Warley Oliveira de Souza.

Com o propósito de corrigir o problema, foi montado uma comissão interna de prefeitos designados a estabelecer um diálogo com a Diretoria do HGG. Na ocasião, Paula Melo, diretora do HGG, informou que a Unidade não poderia recusar pacientes de Guanambi, ainda que o enfermo não fosse admitido via Sistema de Regulação.

Caso algum morador do município procure o hospital, ele é obrigado a prestar o atendimento, isso porquê, na falta de uma Hospital gerido pelo poder público municipal, a responsabilidade do atendimento é transferida ao HGG, relatou Paula Melo, quando procurada pelo Consórcio.

Princípios do SUS – O Sistema Único de Saúde (SUS) trabalha com cinco princípios norteadores de políticas públicas que garantem sua continuidade. São eles: Equidade, descentralização. regionalização, hierarquização e participação social.

Todos possuem igual importância, mas o princípio da regionalização é o que vai permitir a realização dos demais princípios e propor estratégias de saúde que funcione em rede, com articulação dos serviços de saúde já existentes na macrorregião.

EDIÇÃO: TARCÍSIO ARCANJO

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter