X

Fale Conosco:

Aguarde, enviando contato!
Candiba: comunidade Quilombo dos Anjos deu adeus ao seu patriarca.
  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

Candiba: comunidade Quilombo dos Anjos deu adeus ao seu patriarca.

  • Candiba: comunidade Quilombo dos Anjos deu adeus ao seu patriarca. - Foto 1
  • O patriarca do Quilombo Lagoa dos Anjos, Francisco Alto dos Santos, morreu nesta quinta-feira (9). O quilombo é localizado na cidade de Candiba e a causa da morte foi natural.

    Francisco era considerado o rei pela comunidade e era carinhosamente chamado por Chico Delicado. Segundo sua bisneta, Clarlucia Ferreira, Chico tinha oficialmente 96 anos de idade, no entanto, ele só foi registrado quando adulto, na ocasião do nascimento do seu primeiro neto. “A comunidade acredita que ele tenha mais de 100 anos”, ressaltou Ferreira.

    Ela também conta que seu bisavó passou mais de 20 anos lutando para que o quilombo fosse reconhecido. “Ele e minha bisavó, ainda viva, são os patriarcas e o quilombo surgiu a partir deles”.

    Ferreira lembra que seu bisavô contava histórias do tempo da escravidão e sempre lutou para manter suas origens preservadas. “Ele contava que viu Guanambi crescer e até chegou a ser escravo e vendido, no entanto, não temos detalhes da sua infância”.

    A comunidade Lagoa dos Anjos é um território de resistência e de preservação da cultura afro-brasileira, reconhecido pela Fundação Cultural Palmares como uma comunidade remanescente quilombola, desde 2011. Todos os documentos e oficializações saíram em 2015.

    A comunidade é reconhecida também na região por apresentações culturais. O grupo que carrega o nome da comunidade, valoriza o conhecimento da cultura africana, por meio de coreografias tradicionais, embaladas por músicas populares, com raízes nos ritmos afro-brasileiros como forró, axé e funk.

    Em setembro de 2019, o grupo de dança Quilombo dos Anjos foi atração do programa ‘Como Será?’ da Rede Globo de televisão. Segundo ferreira, que também é coreografa do grupo, a iniciativa de criar o grupo surgiu em 2017, após uma reunião feita entre moradores e uma equipe do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) de Candiba, para dialogar sobre formas de transformar o dia a dia dos jovens da região.

    © Agência Sertão @

    • Compartilhe esse post
    • Compartilhar no Facebook00
    • Compartilhar no Google Plus00
    • Compartilhar no Twitter