Ser bom reduz ansiedade e aumenta felicidade, diz novo estudo.

Destaque

Quarta-Feira, 15 de Maio de 2019

Psicólogos sugerem que um remédio muito melhor que um chocolate pra melhorarmos o humor é ser bom, é desejar que os outros se sintam bem.

“Sair por aí e oferecer bondade aos outros no mundo reduz a ansiedade e aumenta a felicidade e os sentimentos de conexão social. É uma estratégia simples que não leva muito tempo para que você possa incorporar em suas atividades diárias,” recomenda Douglas Gentile, professor de psicologia da Universidade do Estado de Iowa (EUA).

A conclusão é amparada por outros estudos, que já demonstraram que a felicidade é obtida por meio da bondade e, mais recentemente, que a bondade traz felicidade duradoura.

Estudo

Gentile, Dawn Sweet e Lanmiao He testaram os benefícios de três técnicas diferentes destinadas a reduzir a ansiedade e aumentar a felicidade ou o bem-estar.

O estudo foi publicado no Journal of Happiness Studies.

Eles fizeram isso pedindo que estudantes andassem pela universidade por 12 minutos e praticassem uma das seguintes estratégias:

Bondade amorosa: Olhar para as pessoas que encontrassem e pensarem consigo mesmas: “Desejo que essa pessoa seja feliz”. Os alunos foram encorajados a realmente dizer o que pensavam.

Interconexão: Olhar para as pessoas que encontrassem e pensar sobre como elas estão conectadas umas às outras. Foi sugerido que os alunos pensassem sobre as esperanças e sentimentos que poderiam compartilhar, ou que aquelas pessoas poderiam pertencer ao mesmo grupo.

Comparação social descendente: Olhar para as pessoas que encontrassem e pensar em como elas poderiam ser melhores do que cada uma das pessoas que encontraram.

Também foi incluído um grupo de controle, no qual os alunos foram instruídos a olhar para as pessoas e se concentrar em seu aspecto exterior, como roupas, combinação de cores, texturas, maquiagem e acessórios.

Todos os alunos foram entrevistados antes e depois da caminhada para medir ansiedade, felicidade, estresse, empatia e conectividade.

Resultados

Os voluntários que praticaram a bondade amorosa ou desejaram que os outros se sentissem bem, eles próprios sentiram-se mais felizes, mais conectados, mais carinhosos e empáticos, bem como menos ansiosos. O grupo de interconectividade mostrou-se mais empático e conectado.

“Esta prática simples é valiosa, independentemente do seu tipo de personalidade. Estender a bondade amorosa aos outros funcionou igualmente bem para reduzir a ansiedade, aumentar a felicidade, a empatia e os sentimentos de conexão social”, ” disse Lanmiao.

A comparação social descendente não mostrou nenhum benefício e foi significativamente pior do que a técnica da bondade amorosa.

Os estudantes que se compararam com os outros se sentiram menos empáticos, menos carinhosos e menos conectados do que os estudantes que desejavam bem aos outros.

Estudos anteriores concluíram que a comparação social descendente poderia ter um efeito amortecedor quando nos sentimos mal com relação a nós mesmos. Os pesquisadores dizem ter chegado à conclusão contrária.

“Em essência, a comparação social descendente é uma estratégia competitiva,” disse Sweet.

“Isso não quer dizer que não possa ter algum benefício, mas a mentalidade competitiva tem sido associada ao estresse, ansiedade e depressão.”


Com informações do Diário da Saúde


Últimas Notícias
Travessa Cicinato A. Fernandes - Centro - Guanambi-BA - (77) 9 - 9962-3188