Crescer 2% não significa retomada, diz Daniel Almeida.

Política

Quinta-Feira, 18 de Maio de 2017

O deputado federal Daniel Almeida (PCdoB) minimizou, na manhã desta quarta-feira (17), o anúncio do governo federal de que o Brasil deixou o pior da recessão econômica para trás. O Planalto também ressaltou que o dólar fechou em queda pelo sexto dia consecutivo. “Depois de quase três anos de recessão, em algum momento essa recessão deixaria de descer e começara a ter algum nível de recuperação. Se o Brasil crescer 2%, ainda não significa retomada porque o buraco é muito grande”, avaliou em entrevista ao BNews.

Ainda segundo o parlamentar, as reformas trabalhista e da Previdência contribuíram para piorar o cenário econômico. “Todas as previsões macroeconômicas indicavam que no segundo semestre de 2016, a economia tinha condições de se recuperar. Ela só não fez essa trajetória por conta das medidas que foram adotadas. As medidas adotadas no âmbito da política e da economia, somadas à desconfiança geral da Lava Jato, é que mantiveram a recessão mais prolongada. Longe de animar a economia, inibe, porque o poder de compra da população é menor. Salários menores, direitos menores, tudo isso inibe a retomada da economia”, prosseguiu. 

O comunista disse ainda que o governo tenta transformar as emendas parlamentares, inclusive as da bancada baiana no Congresso, em “moedas de troca” para obter apoio à reforma da Previdência. “Estamos vivenciando o menor índice de aplicação de emendas que a bancada sugere ao orçamento da União, seja a emenda de bancada para o Estado, sejam as emendas individuais. E há uma certa manipulação, as emendas são impositivas e eles estão tentando transformar isso em moeda de troca para ter apoio na reforma da Previdência”, completou.


Fonte: Bocão News


Últimas Notícias
Rua Dr. Francisco José Fernandes, Nº 83 - Centro - Guanambi-BA - (77) 9962-3288